A importância do Inglês

sexta-feira, junho 23, 2017

Quando entrei no meu curso, Licenciatura em Computação, e vi as disciplinas que teria que cursar, andei à procura de Inglês, mas não tinha... E já nessa altura eu defendia veementemente a introdução dessa disciplina na grade horária do nosso curso.

No ano passado, estava eu no 2º ano do curso, mudaram toda a grade curricular, e lá tive uma esperança que alguém se tivesse lembrado de colocar o Inglês como uma das disciplinas. Foi em vão: é claro que isso não aconteceu! Porém, toda uma panóplia de disciplinas que me pareceram e parecem até hoje, que já as cursei, inúteis, lá estavam na nova grade.

Foi aí que eu me comecei a questionar: tanta coisa para mudar a educação no país, que não está bem assim, e toda essa conversa que ouço quase todos os dias dos professores, para eles terem a oportunidade de mudar para melhor e não o fazerem? Não consigo entender como decidem que somos obrigados a fazer uma atividade curricular denominada "Prática Pedagógica", uma por semestre, na qual fazemos inutilidades como resenhas de artigos (e é inútil porque a própria professora dá 10 para quem faz e 0 para quem não faz, e de certeza que não estão todas perfeitas). enquanto que Inglês, necessário para os comandos da programação e tantas outras coisas, não está incluída. Outra disciplina, que vou terminar este semestre, é "Educação Inclusiva" - enquanto que, obviamente, é importante para lidar com alunos que tenham deficiência, o que acontece se aparecer um aluno de intercâmbio, por exemplo, que não fale mais do que uma ou duas palavras em português? E é por isso que existe um único professor naquela Universidade (pelo menos no meu campus) que fala inglês fluentemente (é meu orientador de iniciação científica, e nós até fazíamos as reuniões em inglês). Os outros falam umas frases soltas, com uma pronúncia terrível, e nem se esforçam para melhorar. Provavelmente devido ao facto de que os únicos cursos que oferecem Inglês como atividade curricular são os cursos de letras com especialização em Inglês. Já para não falar de que a disciplina de Inglês nas escolas, aqui no Brasil, não é de todo suficiente para atingir fluência na língua. Existe um consenso entre todas as pessoas a quem pergunto: "só se aprende o verbo 'to be'".

Além da possibilidade de nos depararmos, no futuro, com alunos de intercâmbio ou estrangeiros que não falem a nossa língua, ainda existem outros motivos para o Inglês ser incluído na grade do curso. Por exemplo:


  • Os comandos dos programas: Fazer um programa simples até pode não requerer muito conhecimento (usando só "for", "if" e afins), mas aqueles mais elaborados têm uma infinidade de comandos (como "switch case", "where...belongs..."). Sabendo o significado, é mais fácil seguir uma lógica, do que usar comandos que não fazemos a mínima ideia do que significam.
  • A possibilidade de trabalhar no estrangeiro: A verdade é que a área de informática tem uma demanda significativa no exterior, e volta e meia surgem oportunidades para trabalhar "lá fora". Sem o conhecimento de, pelo menos, a língua inglesa, acho que a adaptação seria muito complicada.
  • Clientes estrangeiros: Se algum cliente, que precisar de um programa, for estrangeiro, o mais provável é que tente se comunicar em inglês. Possivelmente, pretenderá o programa em inglês também. Aí está o diferencial: é bem mais provável ser contratada uma pessoa com as mesmas qualificações do que outra, mas que saiba inglês.
Enfim, não quero reclamar do meu curso, porque, com exceção de algumas disciplinas nas quais não vejo utilidade, eu gosto muito dele e tenho aprendido muito. Só penso que seria muito mais útil se este, e outros cursos, tivessem o Inglês no currículo. Todos beneficiariam, mesmo que fosse apenas uma optativa.

(PS: Desculpem qualquer incorreção nos termos académicos, mas no Brasil nem sempre as palavras são iguais, e como eu estou a falar no contexto daqui, achei que deveria usar os termos daqui).

You Might Also Like

3 comentários

  1. Very interesting post! Have a lovely Day! 👌👌👌

    ResponderExcluir
  2. O inglês, hoje em dia, é muito importante, não só no teu curso, mas em todos.
    No caso do teu curso, acho que faz todo o sentido, uma vez que, além de ter que falar com clientes estrangeiros e existir sempre a possibilidade de emigrares, trabalhas muito com programação que, por sua vez, tem muitos códigos em inglês, pelo que é mais fácil trabalhar com eles se soubermos o seu significado.
    No caso do meu curso, Enfermagem, acho que também deveríamos ter uma cadeira de Inglês, porque isso seria uma grande ajuda na hora de ler artigos científicos em inglês ( e nós lemos bastantes!), e existe uma grande probabilidade de emigrarmos, uma vez que o que já não falta em Portugal são enfermeiros.
    Eu tenho a sorte de ser boa em Inglês, não só porque tive uma professora fantástica no Secundário, mas também porque leio e escrevo muito em inglês, mas outros não têm tanta sorte, pelo que uma cadeira de Inglês lhes seria muito útil.
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderExcluir
  3. Realmente num curso como o teu o inglês parece-me realmente importante. Além de que o inglês é importante não só para um curso assim mas para a vida

    ResponderExcluir

Obrigada pela tua opinião. Ela é muito importante!

Subscribe